background

Sobre o Festival Pão de Portugal

Festival Pão de Portugal

Em 2014, a Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha decidiu incluir na sua agenda cultural um evento que promovesse a cultura e história locais, de forma a apresentar aos albergarienses e aos seus visitantes alguns dos traços característicos da região. Dada a tradição no fabrico de pão – antiga, mas ainda com expressão na população –, o conceito do Festival Pão de Portugal mostrou-se uma escolha natural.

A conceção e o desenvolvimento do projeto centraram-se na construção de um Festival sustentado nas tradições locais, sem que tal impedisse uma projeção inovadora, que marcasse a diferença e se destacasse entre outras ofertas afins. Por estas razões, o produto final distinguiu-se pela qualidade e é, hoje, um sucesso reproduzido – em 2018, está já na sua quinta edição.

A quarta edição do Festival Pão de Portugal de Albergaria-a-Velha, em junho de 2017, recebeu, aproximadamente, 30 mil visitantes ao longo de três dias.

  • Image
  • Image
  • Image

Albergaria-A-Velha

Município

A tradição de fabrico de pão em Albergaria-a-Velha é centenária e define uma área de grande expressão no concelho. O reconhecimento deste traço histórico e cultural contribuiu e deu o mote para a criação do conceito para o Festival Pão de Portugal.

Sendo um concelho onde existe não só o pão de fabrico tradicional, mas cuja produção sempre esteve presente no quotidiano da sua população, fazer deste local a capital nacional do pão revelou-se uma escolha natural e fundamentada, quer pelos séculos de História, como pelas centenas de moinhos por ele espalhados.

Localização

A localização do concelho de Albergaria-a-Velha apresenta-se, também, como uma mais-valia no objetivo de juntar, num só local, os vários pães existentes de Norte a Sul do território nacional.

Próximo do centro do país, Albergaria torna-se um destino central e privilegiado para acolher os distintos produtores e tipos de pão, regueifas, broas e produtos derivados e complementares que se disseminam por terras lusas.

Por fim, a existência da recentemente inaugurada Rota dos Moinhos serve de complemento cultural e convida à reflexão do papel preponderante desta indústria no decorrer da História.

História

A alimentação é um dos atos de socialização pautado pela partilha de valores, relações identitárias e prazeres. Em Portugal, há séculos que a base dessa alimentação passa pelo pão, que se diferencia consoante a região, o clima e a constituição dos solos.

O pão em Portugal é feito, essencialmente, com três cereais: o milho, o centeio e o trigo. Por todas as regiões e padarias, há um saber fazer, uma linguagem e um conjunto de gestos específicos herdados do passado, que constituem a Cultura do Pão. Esta cultura serve de linha orientadora para todos os projetos de patrimonialização deste produto, que é simultaneamente um símbolo social, religioso, económico e territorial.

Os pães tradicionais, sejam de trigo, de centeio ou de milho, fazem parte do nosso património culinário. São produtos culturais e familiares que sobrevivem, enquanto dão resposta a uma necessidade, a uma expetativa e a um plano alimentar, gastronómico e identitário.